Beagle guloso

beagle gordoLembre-se de um caso antigo, porém muito engraçado, fui chamado para fazer uma aula com um beagle que abria um porta da geladeira quando ela não estava em casa e comia tudo o que não tinha, não dia que cheguei ele tinha acabado de comer um empadão (confesso que foi um dos casos mais engraçados que já me deparei).

Ele desviou mais de 30 kg, foi o maior Beagle que eu conheci. Outro problema que ele apresentou, é que a sua dona não pode ser utilizada na frente dele, pois a sua mente tem sido roubada e a sua comida, ela sempre foi prendê-lo para poder comer.

Comecei a trabalhar primeiro a parte de pular no colo dela pra roubar comida, coloquei-o na guia e comecei a fazer uns exercícios com petisco e toda vez que ele tentava comer eu corrigia com um não bem firme, aos poucos ele foi entendendo que quando não tentava comer o petisco eu liberava.

O próximo passo foi fazer sua dona comer alguma coisa e todas as vezes que ele tentava pular nela eu corrigia com a guia, ele era bem esperto e rapidinho foi aprendendo que não podia roubar nada de sua dona.

Depois comecei a colocar comida nos pratos e espalhar pelo chão da casa (eu sei que parece uma sessão de tortura, mas o bichinho era uma draga, ele tinha que aprender a se controlar e respeitar sua dona) e toda vez que ele tentava pegar eu corrigia com a guia.

Com poucas aulas ele foi se tornando um aluno exemplar, eu já não precisava utilizar a guia, bastava falar não e sua dona podia comer tranquilamente, mas ainda tínhamos o problema da geladeira.

Pedi que ela tirasse o acesso à geladeira, mas ficava próximo do local dele fazer xixi, pensei em criar uma associação negativa (punição divina) do tipo na hora que abre a porta da geladeira cai alguma coisa, mas não funcionou, tentei o Snappy Trainer (www.bitcao.com.br), mas ele não tinha medo de barulho.

A penúltima opção seria o colar eletrônico com controle remoto, mas teríamos que ter uma câmera na cozinha, minha cliente achou muito complicado e achamos melhor colocar uma trava de porta para criança, mas ele conseguiu com o tempo abrir a porta, tivemos que apelar para um cadeado, pois por incrível que pareça foi opção menos complicada.

Fiquei satisfeita, pelo menos que podia comer tranquilamente sem ser “atacada” pelo seu Beagle esfomeado e o mais importante era ele entrar na dieta.rss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *